quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Sem pulso



Olho para os lados e já não vejo saída.

Corro para a porta, em camera lenta, mas não tenho a chave para abrir.

Sinto todo o peso deste prédio desmoronando, e não sei mais onde buscar forças para sair daqui.

Vontade de desistir, de me entregar, de sumir, de evaporar...

Mas alguma coisa dentro de mim insiste em ficar vivo, e tudo que sinto é um embrulho no estômago e um nó na garganta.

Não tenho fome, nem sede, nem forças, nem animo.

Não vejo mais aquela luz no fundo... nem mesmo sei, se estou olhando na direção certa.

Eu só queria hoje, poder fechar os olhos sem pensar e nem sentir nada.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Amigo não precisa falar, precisa ser presente


Eu posso, muitas vezes, não perguntar o que aconteceu...
mas pode ter certeza que estarei sentada ao teu lado
quando eu veres nos teus olhos, que precisa de mim.

E porque faço isso? Faço por nós.

Por ti,
porque sei o quanto tu precisa,
e mesmo sem pedir nada,
eu quero estar ao teu lado.

Por mim,
porque eu gostaria de não precisar pedir,
o que dia em que precisar de ti.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Minimamente feliz

"A felicidade é a soma das pequenas felicidades".

Li essa frase num outdoor em Paris e soube, naquele momento, que meu conceito de felicidade tinha acabado de mudar. Eu já suspeitava que a felicidade com letras MAIÚSCULAS não existia, mas dava a ela o benefício da dúvida.

Afinal, desde que nos entendemos por gente aprendemos a sonhar com essa felicidade no superlativo. Mas ali, vendo aquele outdoor estrategicamente colocado no meio do meu caminho (que de certa forma coincidia com o meio da minha trajetória de vida), tive certeza de que a felicidade, ao contrário do que nos ensinaram os contos de fadas e os filmes de Hollywood, não é um estado mágico e duradouro.

Na vida real, o que existe é uma felicidade homeopática, distribuída em conta-gotas. Um pôr-de-sol aqui, um beijo ali, uma xícara de café recém-coado, um livro que a gente não consegue fechar, um homem que nos faz sonhar, uma amiga que nos faz rir. São situações e momentos que vamos empilhando com o cuidado e a delicadeza que merecem alegrias de pequeno e médio porte e até grandes (ainda que fugazes) alegrias.

'Eu contabilizo tudo de bom que me aparece', sou adepta da felicidade homeopática. 'Se o zíper daquele vestido que eu adoro volta a fechar (ufa!) ou se pego um congestionamento muito menor do que eu esperava, tenho consciência de que são momentos de felicidade e vivo cada segundo.

Alguns crescem esperando a felicidade com maiúsculas e na primeira pessoa do plural: 'Eu me imaginava sempre com um homem lindo do lado, dizendo que me amava e me levando pra lugares mágicos. Agora, se descobre que dá pra ser feliz no singular: 'Quando estou na estrada dirigindo e ouvindo as músicas que eu amo, é um momento de pura felicidade. Olho a paisagem, canto, sinto um bem-estar indescritível'.

Uma empresária que conheci recentemente me contou que estava falando e rindo sozinha quando o marido chegou em casa. Assustado , ele perguntou com quem ela estava conversando: 'Comigo mesma', respondeu. 'Adoro conversar com pessoas inteligentes'. Criada para viver grandes momentos, grandes amores e aquela felicidade dos filmes, a empresária trocou os roteiros fantasiosos por prazeres mais simples e aprendeu duas lições básicas: que podemos viver momentos ótimos mesmo não estando acompanhadas e que não tem sentido esperar até que um fato mágico nos faça felizes.

Esperar para ser feliz, aliás, é um esporte que abandonei há tempos. E faz parte da minha 'dieta de felicidade' o uso moderadíssimo da palavra 'quando'. Aquela história de 'quando eu ganhar na Mega Sena', 'quando eu me casar', 'quando tiver filhos', 'quando meus filhos crescerem', 'quando eu tiver um emprego fabuloso' ou 'quando encontrar um homem que me mereça', tudo isso serve apenas para nos distrair e nos fazer esquecer da felicidade de hoje. Esperar o príncipe encantado, por exemplo, tem coisa mais sem sentido? Mesmo porque quase sempre os súditos são mais interessantes do que os príncipes; ou você acha que a Camilla Parker-Bowles está mais bem servida do que a Victoria Beckham? Como tantos já disseram tantas vezes, aproveitem o momento, amigos. E quem for ruim de contas recorra à calculadora para ir somando as pequenas felicidades.

Podem até dizer que nos falta ambição, que essa soma de pequenas alegrias é uma operação matemática muito modesta para os nossos tempos. Que digam.

Melhor ser minimamente feliz várias vezes por dia, do que viver eternamente em compasso de espera."

(Texto de autoria de Leila Ferreira - Jornalista)

terça-feira, 21 de junho de 2011

Mudança


Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente,
observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.

Dê os seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
Depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.

Durma mais tarde.
Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.

Corrija a postura.

Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.

O novo lado, o novo método,
o novo sabor, o novo jeito,
o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente.

Busque novos amigos.

Tente novos amores.

Faça novas relações.

Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida,
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete,
outro creme dental...

Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.

Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.

Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro,
compre novos óculos, escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios fora,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Mude!

Lembre-se de que a Vida é uma só.

E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação, um trabalho mais light,
mais prazeroso, mais digno, mais humano.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.

Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo, a energia.

Só o que está morto não muda!

Repito por pura alegria de viver:
a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!

(Texto de Clarice Lispector)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Dia dos namorados


Quem lembra com muita emoção, de uma blusa que ganhou do namorado(a) numa data passada?
Tudo bem, e se lembra, qual a intensidade da mesma?
É uma suuuuuuuuper emoção, ou, é simplesmente a alegria de ter sido lembrado?

É... todos estão carecas de saber que o dia dos namorados é mais uma data comercial, mas vamos ser sinceros: se você não ganhar nem se quer, um bilhetinho de amor neste dia, vai ficar magoado e se sentir esquecido, não vai??

O lance legal disso tudo, é poder comemorar a felicidade de termos alguém tão especial, que preenche o nosso coração de amor, e isso nada tem haver com presentes materiais!

Alouuu gentemm!!!

Ou será que existe alguém que pensa, que também se compra amor no sexy shop?

Então!
 É por isso que existe essa data, para não deixarmos o romantismo morrer em nós.

É como um lembrete no calendário, “Oi, é hora de demonstrar para o seu amor, o quanto ele é importante para você”.

Por isso, aumenos uma vez no ano, vamos investir no nosso lado cafona de ser.

Vamos lá! Todos têm um lado romântico, é só assumir.

Vamos nos fazer inesquecível na vida de alguém tão importante para nós.

E como fazemos isso??

Trocando o lanche rápido por um jantar romântico, a meia luz.
Ou mesmo, ir a um restaurante legal que ambos querem conhecer.
Ou então, comer fondue, curtindo um bom vinhozinho.

Ah, você está de dieta?
Então que tal um passeio na serra?
Essa data não deve cair no inverno por acaso...

E o povo que não quer ir muito longe, que tal um motelzinho bem legal, com um tema diferente, tomando um banho de hidromassagem...  

Portanto, para os enamorados, pensem bem...

Não deem presentes que futuramente ficarão guardados em uma gaveta.

Seja especial!

Dê um momento de amor.
Algo que ficará guardado na mente e no coração.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

















"O correr da vida
embrulha tudo.

A vida é assim:
esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.

O que ela quer da gente
é coragem"

Guimarães Rosa

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Mulher acima de 30














Á medida que envelheço, e convivo com outras, valorizo mais as mulheres que estão acima dos 30. Estas são algumas razões do por que:

 - Uma mulher de 30 nunca o acordará no meio da noite para perguntar: “O que você está pensando?” Ela não se importa com o que você pensa, mas se dispõe de coração, se você tiver a intenção de conversar;

 - Se uma mulher de 30 não quer assistir ao jogo, ela não fica à sua volta resmungando. Ela faz alguma coisa que queira fazer. E, geralmente é alguma coisa bem mais interessante;
 
 - Uma mulher de 30 se conhece o suficiente para saber quem é, o que quer e quem quer. Poucas mulheres de 30 se incomodam com o que você pensa dela ou sobre o que ela está fazendo.
 
 - Mulheres dos 30 são honradas. Elas raramente brigam aos gritos com você durante a ópera ou no meio de um restaurante caro. É claro, que se você merecer, elas não hesitarão em atirar em você, mas só se ainda sim elas acharem que poderão se safar impunes.


 - Uma mulher de 30 tem total confiança em si para apresentar-te para suas melhores amigas. Uma mulher mais nova com um homem tende a ignorar mesmo sua melhor amiga porque ela não confia no cara com outra mulher. E falo por experiência própria. Não se fica com quem não se confia, vivendo e aprendendo, né???

 - Mulheres se tornam psicanalistas quando envelhecem. Você nunca precisa confessar seus pecados para uma mulher com mais de 30. Elas sempre sabem.

 - Uma mulher com mais de 30 fica linda usando batom vermelho. O mesmo não ocorre com mulheres mais jovens.

 - Mulheres mais velhas são diretas e honestas. Elas te dirão na cara se você for um idiota, se você estiver agindo como um! Você nunca precisa se preocupar onde você se encaixa na vida dela. Basta agir como homem, e o resto, deixe que ela faça.

 - Sim, nós admiramos as mulheres com mais de 30 por um “sem” número de razões.

Infelizmente, isso não é recíproco.
Para cada mulher de mais de 30, estonteante, inteligente, bem apanhada e sexy, existe um careca velho, pançudo em calças amarelas bancando o bobo para uma garçonete de 22 anos.
Senhoras, eu peço desculpas.

Para todos os homens que dizem,
“porque comprar a vaca se você pode beber o leite de graça?”.


Aqui está a novidade para vocês:
Hoje em dia 80% das mulheres são contra o casamento, sabe por quê?

Porque as mulheres perceberam que não vale a pena comprar um porco inteiro só para ter uma lingüiça. Nada mais justo.”

(Texto de Arnaldo Jabor)

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Pense bem...













Nós bebemos demais, gastamos sem critérios.
Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados, lemos muito pouco,
assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver.
Adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em
cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma.
Dominamos o átomo, mas não nosso preconceito.
Escrevemos mais, mas aprendemos menos.
Planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar
mais informação, produzir mais cópias do que nunca,
mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta.
Na era do homem grande, de caráter pequeno.
Na era dos lucros acentuados e das relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios,
casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis,
das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite
dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama,
pois elas não estarão aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais,
num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)
e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame, se ame muito!
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vem de lá de dentro.
Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre!


By George Carlin

sexta-feira, 18 de março de 2011

Falando de amor

E do nosso jeito,
nos amamos mesmo assim,
tão diferentes um do outro.

Eu aqui a viajar e sonhar,
você ai, pés no chão a colocar...

Ás vezes você me leva para caminhar
de tempos em tempos,
e assim nos completamos!

E seguimos a vida nesse
desequilíbrio equilibrado,
apesar dos desencontros,
temos o amor do nosso lado,
mesmo que de um só.

Essa é a única explicação!

Foi bom te reencontrar.

Talvez um dia eu acorde,
mas enquanto isso,
obrigado por estar
nos meus sonhos.

(by net, LRF)

quarta-feira, 9 de março de 2011

Consulte o seu combustível

Aqui para vocês, um site muito interessante.
Ele localiza perto da sua casa, o posto de gasolina mais barato.
Eu adorei! Aproveitem!

Mulher





















Mulheres fracas, fortes.
Não importa.

Mulheres mostram que mesmo através da fragilidade.
São fortes o bastante para erguerem sempre a cabeça
Sem desistir, pois sabemos que somos capazes de vencer.


Temos a delicadeza das flores
A força de ser mãe,
O carinho de ser esposa,
Reciprocidade de ser amiga,
A paixão de ser amante,
E o amor por ser mulher!


Somos fêmeas guerreiras, vencedoras.
Somos sempre, o tema de um poema.

Distribuímos paixão, meiguice, força, carinho, amor.
Somos um pouco de tudo
Calmas, agitadas, lentas!
Vaidosas, charmosas, turbulentas.


Mulheres fortes e lutadoras.
Mulheres conquistadoras.

Que amam e querem ser amadas
Elegantes e repletas de inteligência

Com paciência, o mundo soube conquistar.
Mulheres duras, fracas.
Mulheres de todas raças.

Mulheres guerreiras.
Mulheres sem fronteiras.


Mulheres... mulheres...

(autor desconhecido)

Um beijo gigante a todas nós, mulheres.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

E finalmente 2011 chegou!!

Pôr do Sol em Punta del Este, 2011



















O mais legal de começar um novo ano, é que tudo parece ser novo também, o que na verdade, continua sendo o mesmo do ano passado.
Mas só em ver aquele numero diferente no calendário enquanto procuro os feriados do ano, já me faz sentir um cheirinho de novo, quase igual a chiclete tuti-fruti.
Ô sensação gostosa nesta época em que os dias são lindos e quentes, nos fazendo relembrar a sensação que temos quando estamos de férias. Todas as noites parecem ser de lua cheia e até a salada tem uma aparência gostosa.
Os colegas de trabalho parecem mais agradáveis, falando besteiras e dando risadas durante os almoços. O trabalho fica mais light, e a vida parece mais leve, enquanto as aulas não recomeçam e a cidade vira um caus.
Até os corações partidos, os amores perdidos, e os desejos não realizados ficam um pouco de lado. Como se um numero novo no calendário nos trouxesse junto, um novo coração ou a renovação de todas as células.
Ahhh... Quem dera conseguíssemos pensar desta maneira, também depois de março!
Enquanto isso, vamos aproveitar ao máximo esta sensação, porque, como já dizia o ditado, tudo que é bom dura pouco.